Terapia Sexual: como, quando e por quê?

 

A Sexologia estuda a sexualidade das pessoas. Mas o que é sexualidade? É uma realidade bio-psico-social, que envolve aspectos biológicos, psicológicos e sociais. É um conceito dinâmico. Nossa sexualidade não é a mesma em todos os estágios da vida. É sempre única e diferente das outras pessoas e, obviamente, está intimamente ligada ao sexo. O sexo não significa apenas partes íntimas, ou penetração, ou orgasmo, mesmo que inclua todos esses aspectos, é muitos mais.

Nascemos sexuais e somos até a morte, mesmo quando não sabemos onde os nossos órgãos genitais estão localizados ou quando não praticamos a penetração. Então, a sexologia estuda esse vasto conceito que é a sexualidade. Os sexólogos não são todos psicólogos, há também médicos, sociólogos, pedagogos, etc., ambos são terapeutas e educadores.

 

Em quais casos tenho que ir a um terapeuta sexual?

  • Especialmente se você precisar de ajuda, sexualmente falando, na remoção de dúvidas e clichês sobre sexualidade, além da melhora da qualidade das relações sexuais.
  • Se a vida sexual mudou e você não pode se adaptar (por exemplo, devido a distúrbios físicos, como alterações relacionadas a menopausa, ou mudanças radicais, como a separação ou a chegada de uma ou mais crianças na família).
  • Se você e seu parceiro não tiverem a mesma necessidade sexual.
  • Se você notou uma queda significativa na libido nos últimos 6 meses ou menos, e se essa queda afetou suas relações íntimas com o parceiro.
  • Se você tem dificuldade em chegar ao orgasmo sozinho (a) ou dois.
  • Se você é mulher e tem dor no coito.
  • Se você não consegue a ereção ou a perde rapidamente.
  • Se você tem dificuldade em controlar a ejaculação.

 

Como eu sei que o meu problema não tem uma causa física?

Alguns problemas sexuais podem ser causados ​​por doenças ou pelos efeitos colaterais de certos medicamentos: se você está em tratamento, é importante ler bem a embalagem para descartar quaisquer riscos. É possível, por exemplo, que alguns anticoncepcionais e antidepressivos promovam dificuldade de lubrificação do canal da vagina e tenham efeitos na libido. Como você pode dizer se seus problemas sexuais estão relacionados a causas físicas e se você precisa consultar o seu médico? Pergunte a si mesmo quando sofre e se o problema sempre se apresenta (sem exceções).

  • Se um homem tem dificuldade em manter uma ereção sempre que ele quer ter relações sexuais, no caso de qualquer prática que o excite (sexo oral, masturbação, etc.), sozinho ou dois, ele deve entrar em contato com o médico, porque é provável que a causa seja física. Em casos especiais, no entanto, por exemplo, se os distúrbios de ereção ocorrerem apenas com o parceiro e não em solitário ou somente durante a penetração e não durante o sexo oral, não é um problema fisiológico.
  • Com relação aos problemas de ejaculação precoce , algumas doenças como a prostatite podem dificultar a identificação de sensações e controlar a ejaculação. Em geral, no entanto, esse problema está relacionado a causas psicológicas, como ansiedade e sobre-excitação ou falta de conhecimento de sua resposta sexual.
  • Em caso de dor durante a penetração, recomenda-se consultar um ginecologista para descartar quaisquer causas fisiológicas, por exemplo, se a mulher pode introduzir um brinquedo sexual de tamanho similar ao do pênis do parceiro sem qualquer problema, mas sente dor durante a relação sexual . Se o especialista não encontrar qualquer patologia, é necessário recorrer à terapia sexual.
  • Problemas de diminuição do desejo ou falta de desejo, exceto aqueles causados ​​por hormônios, são tratados com terapia sexual.

 

Como será a terapia sexual?

Durante as primeiras visitas, o especialista recolhe todas as informações importantes para formular o diagnóstico mais preciso possível e, com base nos objetivos do paciente, estabelece o caminho para trabalhar com ele e ajudá-lo. O trabalho individual pós-sessão é muito importante: o sexólogo dá “trabalhos de casa” ou exercícios para fazer em casa. É importante que o paciente realmente deseje mudar a situação. Na verdade, ele, com a ajuda e direcionamento do terapeuta, melhorará a situação passo a passo até atingir seu objetivo.

O trabalho educacional é essencial: a maioria dos problemas sexuais é, de fato, devido à educação sexual insuficiente ou errada, e é essencial se livrar de todos os clichês e ter uma visão sexual mais ampla. Uma vez terminada a terapia, o paciente terá adquirido as ferramentas que lhe permitirão trabalhar sozinho  sua própria sexualidade e se adaptar a qualquer mudança no ciclo de vida.

terapia sexual online
terapia sexual online
5/5 - (2 votes)

Alexandre Pifer

Psicólogo (crp 07/21909), Hipnólogo e Psicoterapeuta Sexual. Alexandre é de descendência italiana e natural de Venâncio Aires, Rio Grande do Sul, onde cresceu e reside até hoje. Seus conhecimentos transcendem a Psicologia, chegando a Hipnose, Programação Neurolinguística e outras formas de terapia de Alto Desempenho. Em seu trabalho com a Neurociência, desenvolveu o método Reprogramação Mental Online, tratamento de grande sucesso e diferencial no mercado, aplicado hoje pelos terapeutas da Terapiando. Atualmente mantém outros projetos e pesquisas junto ao campo da Neurociência e Psicoterapias. Atua desde 2013 com terapias virtuais.

logo Terapiando

Visite-nos nas Redes Sociais:

logo Terapiando

Visite-nos nas Redes Sociais:

A Terapiando

A Terapiando iniciou suas atividades em 2013 com o pé em inovação, investindo em serviços pouco conhecidos no mercado como o Atendimento Psicológico Domiciliar e o inovador Atendimento Online. É considerada uma precursora dos tratamentos virtuais no Brasil

Desde seu nascimento, investe pesado em tecnologias para proporcionar os melhores tratamentos do mercado. A Excelência é nossa peça chave. Atualmente contamos com as mais modernas tecnologias de tratamento psicológico disponíveis no mercado, além das desenvolvidas por nós.

Receba nossa Newsletter

© 2019 Terapiando, All Rights Reserved.

© 2019 Terapiando, All Rights Reserved.

5/5 - (2 votes)