A Disfunção Erétil Psicológica é a incapacidade de alcançar ou manter uma ereção adequada por causas psicológicas como ansiedade de desempenho, depressão, medos, traumas e vícios. E são essas causas psicológicas que a diferenciam de uma Disfunção Física, a qual é causada por problemas hormonais, neurológicos, vasculares, lesões e doença de Peyronie.

Em uma sociedade extremamente sexualizada como a de hoje, onde somos bombardeados diariamente por estímulos sexuais, seja por meios físicos ou virtuais, é mais que esperado que o homem venha a se cobrar por um bom desempenho sexual. E essa cobrança é o principal gerador de disfunção erétil psicológica ou impotência sexual psicológica como muitos homens conhecem o problema.

 

Diferença entre Disfunção Erétil Psicológica e Física

A diferença entre uma disfunção erétil psicológica e uma física é bem fácil de perceber. Se você perde a ereção na eminencia do ato íntimo ou no meio dele, mas tem ereções normal no dia a dia, então tudo indica que o problema é psicológico.

Em alguns casos, o problema mesmo sendo psicológico deixa o homem sem ereção na masturbação, mas isso ocorre apenas em quadros muito agravados e/ou com depressão e excessivo uso de pornografia.

A disfunção erétil de causa física costuma estar associada a problemas hormonais e físicos, mas nada que uma ida ao urologista e alguns exames não possa constatar.

99% dos homens com até 30 anos que procuram os urologistas por problemas de ereção, tem sua causa psicológica.

DEP: Um problema de múltiplos fatores

Se as perdas de ereção são consequências de questões psicológicas, então não adianta tratar a ereção, mas sim o motivo causador da perda erétil, só assim resolverá de forma efetiva, eliminando altos e baixos.

Em minha experiência clínica, percebi que há sempre três ingredientes básicos para o problema de ereção de cunho psicológico, além dos característicos de cada quadro.

1 – Funcionamento Psicológico

Quando o homem apresenta um funcionamento psicológico ansioso ou depressivo, implica diretamente em como o organismo reage ao ato íntimo.

As pessoas ansiosas, que apresentam as perdas de ereção, tendem a ver o sexo como um momento de auto avaliação, gerando angústia e desconectando do prazer, assim implicando no comprometimento da boa função sexual.

Já a pessoa depressiva, pode não ter ânimo em se relacionar intimamente, gerando desinteresse, o qual compromete a função sexual.

Vale mencionar que geralmente o depressivo apresenta um funcionamento ansioso, mas o ansioso não necessariamente pode ter um funcionamento depressivo.

2 – Autoestima

A autoestima é ingrediente básico para tudo na vida e não seria diferente no sexual. Homens com uma baixa autoestima ou necessidade de atender o outros (que é um problema de autoestima) tentem a usar o sexo para conquistar o outro, com o intuito de se sentirem bons, desejados, entretanto o sexo se torna uma obrigação e não mais um ato de prazer onde você vai para saciar suas necessidades.

3 – Percepção Inadequada do Sexo

O jeito que lidamos com o mundo é pautado em percepções e estas são formuladas socialmente e por nossos aprendizados.

Quando o homem aprende a fazer sexo através de conceitos pornográficos, este tem uma ideia totalmente errada do que é e como funciona um ato íntimo. Então ao praticar com sua parceria, se cobra a ter aquele mesmo desempenho dos atores. Cria-se assim um ato sexual de obrigações.

Se você analisar, todos estes três ingredientes para o problema de ereção colocam o homem numa perspectiva de cobrança sexual, fazendo-o desconectar do motivo pelo qual fazemos sexo, que é ter prazer.

 

Causas da Disfunção Erétil Psicológica

Abaixo citarei as principais causas e soluções da disfunção erétil psicológica, assim você poderá analisar se alguma delas está lhe afligindo e encaminhar os ajustes necessários.

 

Autoimagem

Dentre as causas da disfunção erétil psicológica está a percepção negativa do próprio corpo, que pode gerar um forte sentimento de vergonha e inadequação por não atender aos padrões culturais de beleza vigentes.

Esse sentimento pode gerar uma ansiedade excessiva em relação ao corpo, o que afeta os processos de excitação fisiológica, resultando em um déficit erétil.

É muito comum nos jovens de até 30 anos apresentarem o problema por serem insatisfeitos com o corpo (inclusive com o tamanho do pênis), e com isso, terem dificuldade de se mostrarem nus, implicando na potência sexual.

Por mais que pareça algo simples, a ereção é um fenômeno complexo que responde a uma regulação multifatorial, hormonal, psíquica, endócrina, neurogênica e vascular. Todos esses fatores atuam em sinergia no sistema vascular do tecido erétil contido no corpo cavernoso.

Uma das consequências do aumento da vergonha com o corpo é a redução da excitação sexual, que nos homens resulta em disfunção erétil psicológica e demanda tratamento.

Estratégias Psicossexuais: Aceite seu corpo ou busque mudanças. Pare de ficar atendendo os outros e busque se atender mais. Uma dica: Quem tende a atender os outros fica se sobrecarregando por dar Sim para tudo.

 

Colapso Nervoso

O colapso nervoso é outro grande causador de disfunção erétil psicológica. A maioria de nós tenta trabalhar tão duro, a fim de fazer face às despesas ou para se sentir satisfeito e bem sucedido. No entanto, o trabalho duro pode comprometer o desejo de ter relações sexuais. E, por esta razão é preciso fazer uma pausa de vez em quando para relaxar e pensar um pouco em si mesmo, talvez aproveitando para fazer algo divertido e que lhe cause bem estar.

Ter uma hora por dia para fazer esse processo de higiene mental é essencial. E não se esqueça, ter relações sexuais é uma das coisas mais divertidas que você pode fazer, então aproveite!

Estratégias Psicossexuais: Ajuste as horas de trabalho e tente fazer com que o seu dia seja mais prazeroso. Lembre-se, você passa mais horas trabalhando do que tendo lazer. Se o seu trabalho lhe fizer mal, o seu dia foi perdido.

 

Exaustão Física e Psicológica

A exaustão pode ser causada por vários fatores que estão presentes em seu dia a dia e você não percebe: eles podem ser os únicos a causar a sua disfunção erétil psicológica!

Se você mora na cidade e se sente acostumado a ouvir todos os ruídos, as multidões e a confusão típica da metrópole, deve estar ciente de que estes podem ser as causas de seu problema, mesmo que pareça impossível.

Assim como o ruído, a exposição excessiva à luz artificial pode causar desconforto para o seu cérebro, que não vai enviar mais corretamente os sinais que lhe permitem chegar à ereção.

Os rapazes que malham ou pegam no pesado o dia todo devem estar cientes que o cansaço físico pode gerar desinteresse e implicar na ereção, afinal o corpo não vai gastar energia com sexo se já está exausto.

Estratégias Psicossexuais: Busque dormir com qualidade; diminua a exposição ao celular e meios virtuais; tenho hobbies e lazer; se alimente de forma saudável e tenha um tempo para você.

 

Ansiedade de Desempenho Sexual

Ansiedade de Desempenho Sexual ou Ansiedade Sexual é um dos fatores mais comuns a causarem disfunção erétil psicológica: quantas vezes você não se sente confortável ou com medo de não ser capaz de satisfazer a parceria?

Se você tem essa suposição, insegurança e desajeitamento, sem dúvida pode ser o principal motivo desencadeante da DE Psicológica. Motivos hoje que mais trazem pessoas ao consultório da Terapiando (presencial ou online).

Você tem que prestar muita atenção a esse fenômeno, ou seja, a ansiedade de desempenho. Deve conter sua ansiedade para eliminar este tipo de disfunção erétil, deixando o ato sexual rolar naturalmente, sem cobranças ou preocupações, caso contrário vai entrar em um espiral descendente da qual é muito difícil sair sozinho, o que fará todas suas relações sexuais impossíveis.

Estratégias Psicossexuais: Busque fazer sexo para ter prazer e não para atender o outro. Dica 1: Homens mais egoístas tem um melhor desempenho sexual. Dica 2: Mesmo estando muito ansioso, se você conseguir conectar a prazer, não perderá a ereção.

 

Depressão

A Depressão é um grave complicador para a vida sexual. Uma pessoa que sofre de depressão acaba gastando seu tempo ruminando os problemas da vida, por isso ter relações sexuais acaba não sendo uma necessidade e na maioria das vezes os estímulos não lhe desencadeiam desejos. Para piorar a situação, muitas drogas antidepressivas tem seu efeito inibidor, o que acaba provocando ou agravado a disfunção erétil psicológica.

Algo interessante de salientar é que a disfunção erétil psicológica pode causar depressão, por isso você não deve ficar empurrando com a barriga o tratamento. Senão na hora de tratar cairá em um dilema: pra vencer a depressão precisa ter ereção, mas para ter ereção precisa vencer a depressão.

Estratégias Psicossexuais: Você deve tentar viver uma vida ativa, se misturar na multidão, conhecer gente nova, sair, tanto quanto possível. Desta forma, você não terá exatamente o tempo para estar deprimido. Cuidado para não ficar “vivendo o problema impotência”, isso fará com que aumente o quadro depressivo e te impossibilite de se libertar da DEP.

Se está depressivo ou vivendo o problema, é essencial uma terapia psicológica especializada.

 

Masturbação e Pornografia

Em muitos jovens, no entanto, a disfunção erétil psicológica é causada por masturbação excessiva. Se você costuma desfrutar os prazeres da masturbação várias vezes por semana ou dia, e notar um princípio de impotência, seria bom ficar sem essa prática por um tempo para se experienciar.

Associada à masturbação excessiva está o consumo de pornografia, grande causador de impotência psicológica, devido a hiper estimulação sexual (visual, auditiva e sinestésica) a qual não atingimos em um ato sexual considerado normal. Além disso, a pornografia cria um distanciamento do que é um ato sexual normal, com desempenho e corpos irreais.

Aqueles que usam da pornografia precisam de estímulos eróticos mais fortes e intensos para ficarem excitados e frequentemente apresentam a disfunção erétil. Além disso, concomitantemente, podem apresentar ejaculação retardada ou precoce.

vício em pornografia associado a impotência psicológica aumenta o sofrimento psíquico, uma vez que a pessoa sente a falta de excitação e busca obter artificialmente, chegando a um momento onde nem com pornografia consegue se excitar.

Estratégias Psicossexuais: Reduza o número de masturbações para no máximo 2x por semana. Também deve eliminar o consumo de pornografia. Vale frisar que bundinhas e peitos em redes sociais são considerados como conteúdos pornográficos.

 

Parceira Castradora

O nome desse tópico é bem intrigante, mas é uma das grandes causas de disfunção, tanto em jovens, quanto em homens mais velhos.

O perfil de mulher castradora é aquela que bate de frente, que se impõe dominando a relação, a ponto de deixar o homem intimidado ou inferiorizado. Essa intimidação ou inferiorização pode ocorrer tanto no convívio, quanto na vida sexual.

É muito comum as mulheres pedirem bom desempenho sexual do parceiro, brigarem, fazerem cara feia ou piadinhas quando ele falha. Por mais que a intenção não fosse magoar, acaba atingindo o ego do parceiro, o que pode causar ou agravar o problema.

Na grande maioria das vezes o homem nem percebe que a parceira é demasiadamente dominante, talvez por vir de uma família onde a própria mãe é controladora ou de um núcleo familiar onde ele aprendeu a ter exagerado zelo e respeito pelas mulheres. Castrando assim sua agressividade, e gerando uma incapacidade de dominar na cama (e no relacionamento), o que repercute em impotência ou ejaculação rápida.

Estratégias Psicossexuais: Analise se esse perfil de parceria é compatível com você; busque dominar um pouco mais a relação e se submeter menos. Dica: Mulheres tem mais desejo por homens dominantes e menos por homens bonzinhos.

 

Falta de Prazer

Sexo tem que ser prazeroso? 

Por mais que pareça algo lógico, para muitos homens não é, mas acham que é!

Infelizmente, a maior parte dos homens não sente grandes prazeres no ato sexual, fazendo ele de forma mecânica e não se satisfazendo totalmente. Esses homens, provavelmente não conheceram 100% da sua potência sexual, a reduzindo por causa de vários fatores.

Quando é feito o tratamento com terapia sexual, o homem consegue vencer as perdas de ereção; prolongar o ato sexual e principalmente o tornar mais sensitivo, resolvendo automaticamente a ejaculação retardada, caso o tenha.

Para homens que tem Ejaculação Precoce ou como atualmente é chamada, Ejaculação Prematura, a terapia sexual tratará os dois problemas concomitantemente.

Estratégias Psicossexuais: Foque mais em ter prazer; busque na hora H o prazer que te gera a visão, audição, paladar, olfato, tato e imaginação. Lembre-se: o seu corpo é o melhor órgão sexual, não reduza o seu prazer apenas ao órgão pênis.

 

Drogas

Às vezes você bebe por modinha, outros com a falsa esperança de que o álcool ajudará a superar seus medos, esquecendo que é uma substância que pode ajudar a derrubar o “seu amigo”.

Os cigarros não só prejudicam a circulação sanguínea a longo prazo com consequentes efeitos negativos na ereção, mas a nicotina tem um efeito vasoconstritor, o que significa que ele age de uma maneira contrária a alguns alimentos afrodisíacos, tornando a ereção mais difícil.

Obviamente, também drogas como a maconha, a cocaína e as anfetaminas, apresentam disfunção erétil entre os possíveis efeitos colaterais, tanto porque interferem na química do organismo, quanto por dessensibilizar as terminações nervosas.

 

Disfunção Erétil em Jovens

A disfunção erétil em jovens é comum, e rapazes de até 30 anos quem apresentam este tipo de problema sexual costumam buscar a causa fisiológica, entretanto é muito raro realmente ser essa a causa. Por isso, é adequado buscar um urologista e fazer os exames. Descartada a causa fisiológica, vamos ao tratamento psicológico.

Em homens com até 30 anos, 99% dos casos de disfunção erétil que chegam aos consultórios dos urologistas é puramente psicológico.

A ansiedade de desempenho é o principal responsável pela disfunção em jovens e adultos de até quarenta anos de idade. Expectativas muito altas, geralmente criadas em sua mente com base em clichês cinematográficos irrealistas, elogiando o mito do supermacho, criam um estado de ansiedade que faz da realidade os piores pesadelos que alguém gostaria de evitar.

Assim o ato sexual que deveria ser uma fonte de prazer, se torna um estressor, o qual a mente quer fugir, com isso vem o aparecimento de problemas como a ejaculação precoce e a disfunção erétil psicológica.

Relacionamentos com parceiras que possuem mais experiência ou que são sexualmente agressivas é mais um dos agravantes. É comum que jovens ou homens de meia idade se sintam inferiores sexualmente frente a sua parceira. Psicologicamente, “criança não come ninguém”, o qual é um mecanismo de autossabotagem.

Quando nos relacionamos com mulheres sexualmente muito agressivas, é interessante termos cuidado, afinal elas podem agravar o problema, não somente no que tange a ansiedade de desempenho, mas com suas palavras e comparações que são marcantes.

Muitas vezes, a ansiedade pode ser um funcionamento global do organismo, trazendo complicadores na escola ou em experiências iniciais de trabalho, com a possibilidade de ataques de pânico . Nesses casos, uma boa terapia para erradicar as causas de insegurança e ansiedade é a melhor solução.

Causas Físicas da disfunção erétil em jovens

Embora a disfunção erétil de jovens tenha principalmente causas psicológicas, isso não significa que as causas físicas podem ser excluídas sem um contato com o urologista. Ao contrário dos adultos, mais raramente as causas físicas da disfunção erétil são problemas cardiovasculares. Da mesma forma, várias doenças podem afetar a capacidade de obter uma ereção, incluindo diabetes.

A pré-adolescência, por outro lado, é a idade em que se pode descobrir que ele sofre de hipogonadismo, que é um mau funcionamento dos testículos, geralmente causado por um desenvolvimento testicular reduzido e por algumas doenças genéticas e neurológicas que impedem a correta produção de hormônios masculinos. Neste caso, uma terapia hormonal pode ser a melhor solução.

 

Outras Disfunções Sexuais

As disfunções sexuais masculinas muitas vezes não se apresentam sozinhas e nos quadros de impotência sexual psicológica não seria diferente. É comum que os rapazes que apresentam DEP tenham associado ejaculação precoce, vício em pornografia ou ejaculação retardada. E esses problemas podem ter vindo antes ou depois da impotência. Então ao efetuar o tratamento, o psicoterapeuta precisará avaliar bem o quadro e dar os devidos direcionamentos para cada problema. Se o tratamento focar em um único problema, a terapia não será eficaz.

Ao procurar ajuda, não seja sucinto na sua explicação do que está lhe afligindo. Dê um bom histórico do problema e da sua vida, assim o profissional poderá lhe ajudar melhor.

 

Consequências do Uso de “Azulzinho”

Na maioria dos casos, o uso de Tadalafila, Sildenafila e outras medicações para disfunção erétil psicológica acaba agravando o problema. O tratamento farmacológico para essa questão deveria ser uma forma de alívio do problema, entretanto gera certa satisfação por um tempo, mas como a causa principal não é tratada, o problema  se agrava, necessitando de doses maiores de medicação até que ela não faça mais efeito.

Infelizmente as medicações para impotência psicológica são meros placebos que geram segurança.

 

Tratamentos para Disfunção Erétil Psicológica

A procura de ajuda é um pouco constrangedora, mas é necessária, e o quanto antes, melhor. Se o problema é vir até a clínica, o Terapiando disponibiliza opções de tratamentos online por videoconferência.

 

Opção 01: Terapia Sexual Especializada

Tratar com Psicoterapia (Online ou Presencial) parece uma ótima opção, mas o “pulo do gato” é usar terapia sexual. Para muitos pacientes parece a mesma coisa, mas um psicólogo especialista em disfunção erétil psicológica lhe dará um melhor suporte, diferente de um generalista que recebe poucos casos como este por ano.

O melhor tratamento para disfunção erétil psicológica é Terapia Sexual com Reprogramação Mental, online ou presencial.

A Reprogramação Mental usa de hipnose, programação neolinguística, mindfulness e outras tecnologias, agindo a nível inconsciente, reprogramando o trauma e padrões de comportamento disfuncionais, dando assim uma nova perspectiva ao sujeito, fazendo com que o tratamento seja bem mais rápido.

Além disso, você terá muitas atividades, técnicas e casos práticos. Conheça a metodologia:

Caso tenha dúvidas sobre a disfunção erétil psicogênica, fale com um de nossos atendentes ou responda nossa avaliação de caso, dessa forma lhe indicaremos a melhor abordagem.

 
Opção 02: Treinamento Academia da Ereção

O Treinamento Academia da Ereção é em Videoaulas (gravadas), assim você tem acesso pelo celular ou computador, direto na plataforma do Hotmart.

>> CONHEÇA AQUI <<

É um treinamento psicológico, em formato de terapia, com Exercícios, Técnicas, Casos Práticos e Áudios de Reprogramação Mental. Indicado para quem não quer fazer terapia.

No treinamento vai aprender a identificar as causas do problema e estratégias psicológicas para superá-las. Tudo isso com um script de como seguir, semana a semana.

Além disso terá o meu suporte na aplicação das atividades e serão gravados novos vídeos de acordo com as dificuldades e demandas dos alunos.

 

Vídeo: Dicas para superar a impotência sexual psicológica

 
5/5 – (45 votes)

45 comentários em “Disfunção Erétil Psicológica: Causas e Tratamentos”

  1. Estou surpreendido com os resultados obtidos com a técnica do dr Alexandre. Fiz uma sessão, infelizmente não tenho condições de fazer mais, mas está funcionando muito bem. Tenho que agradecer, mesmo assim continua me instruindo via chat de graça.
    Parabéns ao seu trabalho Dr e a toda equipe pelo excelente atendimento.
    Obrigado!

  2. Olá Dr. Alexandre! Tudo bem?! Falo de BH. O meu marido tem TAG, transtorno de ansiedade generalizada. Nos casamos em janeiro e desde março ele não consegue ter ereção. Vínhamos tentando (… CONTEÚDO RESTRINGIDO PARA PRIVACIDADE…)

  3. Olá, faço um tratamento pra falta de libido e disfunção éretil com um spray sublingual do qual ñ esta surtindo o efeito esperado ñ esta adiantando, busco uma solução definitiva para a solução dos meus problemas pois ja procurei tratamento e ñ esta dando certo, peço ajuda pra resolver essa situação incomoda demais ja ñ sei mais o que fazer.
    Me ajudem por favor

  4. Ola, quero agendar consulta, mas não estou em SP. O meu problema não é generalisado como muitos, ocorre numa situação bem particular. Porém, já se repetiu algumas vezes na mesma situação, exatamente. Por isso, as vezes já fico com receio porque é mto chato. Será que o resultado online é tão bom quanto presencial?

    1. Olá Tiago.
      Boa tarde!
      O processo online não se difere em funcionamento e resultado, isso porque o terapeuta é apenas mediador do processo. A mudança ocorre com você.
      Recebemos mais de 10 novos casos por semana, é algo tranquilo de tratar.
      Te enviei e-mail!
      Abraço
      Inês.

  5. Quero agradecer a toda equipe da clínica. No começo fiquei meio receoso quanto a tratar online, mas fui super bem atendido pelas meninas do site e do whatsapp.
    Em especial gostaria de agradecer ao Dr Alexandre, um super profissional, salvou meu casamento.
    Ingeri siales, usei de spray, usei cinto peniano que só agravou meu caso e ainda os médicos me recomendaram cirurgia.
    Como fiquei com medo da cirurgia, procurei na internet e encontrei a Terapiando. Como não custava fazer mais uma tentativa, e a relação estava no buraco, resolvi marcar uma sessão.
    O Dr passou-me a técnica dos 5 e já com ela consegui manter a ereção. Tratamos também minha ansiedade e outras questões junto. Tive benefícios além do esperado.
    Podem confiar! Só tenho a agradecer.
    Gravarei um vídeo nos próximos dias contando minha história e postarei aqui. =D

  6. Olá. Gostaria de deixa minha experiencia da primeira RM.
    Após a reprogramação meu corpo ficou bastante relaxado.
    Durante a reprogramação senti frio nos pés. Eu lembro de praticamente tudo, sendo que apenas no final eu senti que estava quase dormindo.
    As noites de sono vem sendo boas, bem relaxado, sem problemas. Não lembro de sonhos ou pesadelos. O meu dia foi normal, cheio de trabalho.
    Percebi uma diminuição da ansiedade, to comendo com mais calma e aproveitando mais as alimentações. Senti uma vontade absurda de faze atividade física e to fazendo.
    Na primeira relação após a Rm me senti seguro mesmo com um pouco de ansiedade, mas deu tudo certo e tive um bom sexo. Na segunda relação foi melhor, deu pra curtir mais. Abandonei o cialis. O dr me passou que devo fazer mais algumas sessões para garantir. Quando tiver certeza que meu probleminha foi embora por completo deixo aqui minha história. Vlw

  7. Passei anos da minha vida com baixa autoestima, insegurança, ansiedade e disfunção erétil. Em mais uma de minhas buscar por ajuda, cai no site da Terapiando. Inicialmente achei meio estranho essa pegada de fazer terapia online, mas para quem está quase desistindo de tudo, vale tentar mais essa.
    Estou triste e muitíssimo feliz, tudo ao mesmo tempo. Triste por ter sofrido anos com meu problema, triste por ter prejudicado o meu casamento e minha felicidade. Porém estou extremamente feliz por ter chego até essa clínica.
    Fiz uma primeira sessão de terapia com o DR, após foi-me recomendado uma reprogramação da mente, a qual achei interessantíssima, mas não estava colocando muita fé, hehe.
    Após a sessão de rm estou conseguindo ter relações sem problema algum, ainda um pouco ansioso, só que sem o problema. Minha autoestima está muito melhor, além da confiança.
    Fico muito grato pela ajuda do dr e o excelente atendimento das secretárias pelo meios virtuais. Continuarei tratando para nunca mais ter esses problemas, mas certamente estou livre.
    Clínica nota 1000000000000000000000000000!!!!

  8. Vou deixar um depoimento. Comentei com o Alexandre e acho importante disseminar as coisas boas que encontramos e transformam na nossa vida. Eu estive no fundo do poço, numa crise emotiva quem ainda percebo seu impacto. Cheguei no ponto de não ter ereção nenhuma nem estimulos, mesmo estando com idade totalmente ativa e com todos os parâmetros fisiológicos normais. Com o tratamento de terapia online, rapidamente senti as mudanças, alterações e recuperei plenamente minhas ereções. Só tenho muito a agradescer ao belíssimo trabalho do Alexandre e da equipe da Terapiando, tanto que acho importante trazer este depoimento que ajudará a disseminá-lo. Assim como eu, muitos homens podem, por motivos variados, estarem sofrendo por aí, algo tão fundamental à saúde de um homem e talvez nem saibam que a solução acaba sendo simples e rápida, seguindo as orientações do Alexandre. A palavra é gratidão!

  9. Estou com problemas de erecção e penso ser psicológico, pois já estive na mesma situação em tempos e sozinho consegui ultrapassar. Mas desta vez não estou a conseguir ultrapassar, já procurei ajuda médica, mais apenas teve efeito nos 5 primeiros dias e depois voltou tudo de novo. Preciso de ajuda, Dr. Alexandre.

  10. Sou jovem e também estou com o problema a bastante tempo, venho recorrendo a medicamentos mas nem assim funciona, gostaria de saber informações, valores e quantas vezes seria necessário!

  11. Vou deixar um elogio aos atendentes por toda atenção e principalmente ao Dr Alexandre que com apenas uma consulta fez eu ser um cara feliz novamente.Sua conversa é bem clara e direta,a sua metodologia de tratamento é muito eficiente e bem simples,basta o paciente ter dedicação.Eu passei por momentos muitos chatos por conta da DEP,cheguei a pensar que ia acabar o meu relacionamento de anos,mas sorte minha que eu tenho uma namorada companheira e que me ajudou em tudo.Procurei tudo que pode imaginar pra acabar com isso,já havia feito terapias antes,mas só gastei dinheiro ,pois não tive resultados.Pra minha felicidade achei o Terapiando na internet ,fiz uma consulta,segui as dicas do Dr e hoje eu vejo que estou cada vez melhor,toda minha ansiedade e nervosismo foi pro ralo.
    Obrigado Dr Alexandre !

  12. Gostaria de saber mais informações sobre esse tratamento pf , meu caso de DEP acho q e um dos casos mais graves, to com o psicólogo tão ruim, q to fugindo das mulheres :/

  13. Olá Doutor, tenho 27 anos e sofro de disfunção eretil por causa de ansiedade, nervosismo e medo de falhar. Já tenho isso a um bom tempo (5 a 6 anos). já fui pra psicologo e não obtive um resultado eficaz. hoje em dia uso estimulantes pra obter um resultado legal e não ficar com a paranoia na hora do sexo. Mas mesmo assim ainda não me sinto muito confiante e termina dando um estresse na hora do ato e deixa de ser aquela coisa tão prazerosa. Que Droga!

  14. Boa tarde! Vendo o site suas matérias e depoimentos percebo que preciso de ajuda ! O artigo sobre vício em pornografia me chamou atenção… basicamente sempre tive um vida sexual muito ativa e minha libido altíssima… de uma semana pra outra tudo mudou … libido foi a zero … e agora minha cabeça não para de remoer sobre isso tudo … como funciona o tratamento online ? Obrigado Abs

  15. COMO O NÚMERO DE SOLICITAÇÕES DE AGENDAMENTO É MUITO GRANDE, ESTAMOS MOVENDO PARA O PRIVADO. DEIXAREMOS APENAS OS COMENTÁRIOS. VOCÊ PODE SOLICITAR MAIORES INFORMAÇÕES POR AQUI, PELO WHATSAPP, CHAT DO SITE OU E-MAIL. OBRIGADA! Inês

  16. Um excelente profissional, com técnicas muito eficientes de apoio, e dedicação impressionante. Já me ajudou muito e ainda vem me ajudando cada vez mais, só tenho a agradecer.

  17. O foda de fazer terapia para dep com o dr é perceber que passei anos sofrendo e em terapia do tipo bla bla bla que ñ resolveu nada e em miseras 4 consultas não broxei mais. Obrigado dr 😀

  18. Olá moro na Europa e sofro de DEP há anos. Sou casado há 23 anos e tenho uma vida sexual com muitos altos e baixos porque o fantasma de “negar fogo” está sempre me perturbando. Gosto muito de sexo e ultimamente tenho usado Viagra o que melhorou muito, mas se não tomo e minha esposa me procura, a ansiedade toma conta e a catástrofe eh inevitável. Gostaria de resolver esse problema de uma vez por todas. Aguardo o contato.
    Renato

  19. Tenho 65 anos e sofro demasiadamente com problemas de ereção desde que o início da adolescência. Sempre fui muito ativo do ponto de vista sexual, lembrando que mesmo na infância adorava brincar de “Médico” com minhas amiguinhas vizinhas. Por volta dos 10 anos de idade tive uma experiência traumática com um Padre que me obrigou a masturbá-lo e desde a minha primeira namorada, sempre tive excessiva preocupação com eventual ausência de ereção e, principalmente, com a penetração. Tenho ereções até bem fortes, porém, sempre me preocupo com a penetração e a partir de então o pênis começa a se tornar flácido e a relação acaba sendo interrompida, sempre com muito desconto emocional e psicológico que se agrava a cada dia. Apesar de udo isso, fui casada durante 30 anos, tive uma amante por 25 anos e tive e tenho namoradas, durante todo esse tempo “quebrando o galho” com Viagra e Cialis, principalmente. Ocorre que agora, com 65 anos e com uma parceira de 47 anos, apesar de tomar os remédios não consigo manter a ereção inicial por conta da exagerada Ansiedade de Performance (ereção e penetração) e pelo meu passado de mais de 50 anos de vários fracassos por conta da perda da ereção…. Fiz várias TVP’s Terapias de Vidas Passadas, ocasiões em que foram detectados traumas ligados à sexualidade, que muito provavelmente também tem contribuído para agravar cada vez mais o meu problema. Durante a vida toda sofri muito com tudo isso sem ter conseguido nada de positivo, nem mesmo parcialmente. Agora, com uma carreira profissional de sucesso concluída e dentro de um relacionamento muito bom, quero resolver esse grave problema definitivamente, mesmo porque os Tratamentos Convencionais não mais surtem efeito. Aproveito para adiantar que sou Hipertenso desde os 31 anos de idade (controlada com medicação) e há muito tempo fui diagnosticado com TAG Tanstorno de Ansiedade Generalizada e, recentemente, com TDAH Transtorno de Déficit de Atenção Hiperatividade (também controlados com medicação). Para agravar ainda mais o meu quadro, passo por um processo depressivo agudo e tomo antidepressivos para ao menos tentar sair de casa. Apesar da gravidade do meu caso, li agrora o site TERAPIANDO e estou com muita esperança de, finalmente, colocar fim num “drama” que atrapalhou muito a minha vida não só sexual como também pessoal e até mesmo profissional. Conto com a ajuda do Dr. Alexandre Pifer e dos demais membros dessa instituição.

  20. IGOR THIAGO SANTANA RODRIGUES

    Boa noite me chamo Igor, e há uns dois anos e meio sofro com a falta de ereção, fiz um tratamento na [NOME DA CLÍNICA REMOVIDO] só que quando acabou o medicamento meu problema voltou tudo de novo, percebo q meu problema é psicológico

    1. Olá Igor.
      Quando o problema é de cunho psicológico, o único tratamento eficaz é com abordagem psicológica. A medicação funciona como placebo no seu caso. Não foram tratadas as ansiedades, questões de autoestima e outras que são as responsáveis pelo quadro.
      Busque ajuda em terapia sexual.
      No meu insta tem vídeos sobre o assunto que podem lhe ajudar. AQUI
      Abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.